Notícias

Patrulha Musical da PM leva diversão para o Instituto de Cegos

Diante de uma plateia atenta e curiosa, os 34 músicos policiais da Patrulha Musical levaram diversão e conhecimento, na manhã desta segunda-feira (22), para o Instituto dos Cegos da Bahia, no bairro do Barbalho, em Salvador. Como parte do projeto social Patrulha do Bem, a Polícia Militar tem promovido não apenas a arte, mas a inclusão social e o entretenimento através de apresentações realizadas em creches, asilos, hospitais e diversos locais da cidade.

Nesta segunda-feira, a apresentação também ganhou um teor didático. Além das canções, as crianças, jovens e adultos que assistiram ao espetáculo escutaram os instrumentos separadamente e tiveram oportunidade de tocar e de sentir o formato e a textura de alguns deles com as mãos.

Para o maestro da Banda de Música Wanderley da Polícia Militar da Bahia, tenente Marcelo Sarmento, o projeto reforça a missão desses homens e mulheres policiais que integram o grupo. “É importante que a população saiba que estamos aqui não somente fardados, nas ruas, garantindo a segurança, mas que também fazemos esse trabalho, que é social, de aproximar as pessoas da corporação e de uma maneira tão gratificante, levando arte. Ficamos muito felizes em alegrar a vida dessas pessoas com a música também”, explicou.

Na plateia estavam pessoas de todas as idades, desde as crianças pequenas até os adultos, que conhecem o instituto há muito tempo e até hoje mantém uma relação com a música, como é o caso de Alessandra de Lima, 37 anos. “Eu cheguei aqui [no Instituto de Cegos da Bahia] com seis anos, já passei por internato, faço muitas atividades aqui, mas as minhas preferidas são as aulas de música. Participei do coral e ainda faço aulas de técnica vocal. Depois dessas aulas, eu canto na igreja evangélica que frequento e gosto demais de música. Gosto de ouvir e de cantar. Música é vida”.

Entre as atividades, o instituto oferece aulas de iniciação musical, musicografia em braile e técnica vocal. De acordo com a professora de música, Cátia Cucchi, esta é uma forma de estimular e dar opções de verdade para a vida profissional dos alunos. “A música é um importante veículo de socialização. Proporciona a valorização da autoestima dos nossos alunos, além de criar oportunidade de empregos. O aluno pode ser um músico profissional e pode dar aulas de música. Temos alunos que têm as suas bandas, cuidam da parte religiosa de igrejas. A música contribui muito na formação do ser humano. A arte é uma forma de valorização dessas pessoas que são capazes, apenas não enxergam”, destacou.

Créditos : Secom

Patrulha do bem

FOTO: A foto é um mosaico com quatro fotos – a primeira mostra a banda da Patrulha do Bem tocando instrumento sinfônicos. A segunda foto mostra uma PM apresentando um instrumento a uma criança. A terceira foto mostra ao centro a Presidente Sra. Heliana Guimarães junto ao membro da banda Patrulha do Bem que fala ao microfone – a ultima foto do mosaico está com um fundo azul ciano o texto da foto é “Projeto Patrulha do Bem abrilhantando o Instituto de Cegos da Bahia. 22/08/2016″ ao canto direito está a logo do ICB.

 

Fim do conteúdo Voltar